Albert Einstein
Gostamos de aprender com aqueles que são maiores do que nós. Por isso, elegemos Albert Einstein, como mentor do  ATLAS do SABER. A sua  vida e pensamento constituem para nós um exemplo da afirmação dos valores que defendemos e praticamos.
Nascido em 1879 na Alemanha e falecido em 1955 nos Estados Unidos, Albert Einstein foi o maior físico do século XX e um dos maiores da história da ciência. Tornou-se mundialmente conhecido pela sua Teoria da Relatividade Geral e recebeu o Prémio Nobel da Física em 1921. No final do século XX, a prestigiada revista norte-americana Time escolheu-o como "a pessoa do século", justificando que Einstein encarnava tudo o que de melhor tinha acontecido no século XX.

Considerado hoje por toda a gente como um verdadeiro génio, desses realmente raros, Einstein foi, ao longo da sua vida um exemplo de como a genialidade é afinal a face visível de muito trabalho, muito esforço e muita persistência.
Os seus pais jamais poderiam imaginar que aquele rapazinho tímido e arredio, que aos três anos ainda tinha problemas com a fala, se viria a tornar num dos maiores cientistas do século. Na escola, revelou-se desde o início um aluno mais lento que os outros, sobretudo na resolução de problemas, mas como era persistente e disciplinado, acabava por ter boas notas. Já cientista famoso, ficou célebre a sua resposta a um estudante que se lamentava das suas dificuldades a matemática: "Não se preocupe com as suas dificuldades a matemática. Garanto-lhe que as minhas ainda são maiores".

Albert Einstein provou sempre que era capaz de ultrapassar as dificuldades. Da primeira vez que se candidatou à universidade, reprovou no exame de admissão. Depois de ter terminado a sua formação em Física, na ETH Zurich (Eidgenossische Technische Hochschule), candidatou-se a lugares de assistente em várias universidades suíças e alemãs e foi recusado.


A sua primeira tese de doutoramento, em 1901, foi recusada pela Universidade de Zurich. Obteve finalmente o doutoramento quatro anos mais tarde, em 1905, e nesse mesmo ano publicou quatro artigos fundamentais para a física moderna, entre os quais aqueles em que enunciava os princípios da Teoria da Relatividade Geral. Por causa desses artigos de Einstein, o ano de 1905 ficou conhecido como o Annus Mirabilis (Ano Maravihoso). Exactamente um século mais tarde, 2005 seria celebrado como o Ano Internacional da Física, em homenagem ao Annus Mirabilis de Einstein.

Albert Einstein ganhou todos os mais importantes prémios de ciência, incluido o Prémio Nobel da Física, em 1921. O investigador que um dia vira recusada a sua tese de doutoramento, trabalhou em várias universidades e institutos de pesquisa na Suiça, Alemanha e Checoslováquia. Em 1933, depois da tomada de posse de Adolf Hitler como chanceler, fixou-se nos Estados Unidos, para escapar às perseguições nazis (era judeu), aceitando um convite da Universidade de Princeton. Trabalhou e viveu aí até à sua morte em 1955.

Como acontece com todos os grandes homens, a vida de Einstein oferece-nos muitas lições. A mais importante das quais é talvez aquela que nos ensina que devemos sempre persistir naquilo que queremos, que nunca devemos desistir conquanto estejamos convencidos das nossas capacidades e que temos que aprender a ir além dos nossos limites.


Mas, acima de tudo, Albert Einstein ensinou-nos que devemos manter a mente aberta à eterna maravilha do mundo. Como ele disse: "A coisa mais bela que podemos experimentar é o misterioso. É a fonte de toda a verdadeira arte e de toda a ciência. Aquele para quem esta emoção é estranha, que já não consegue parar para se maravilhar e se deixar arrebatar, está como morto: os seus olhos estão fechados."